Sexta-feira, 4 de Maio de 2007

Atendedor automático escolar

Esta é a mensagem que o pessoal docente da Escola Secundária de Pacific Palisades (Califórnia) aprovou unanimemente que deveria ser gravada no atendedor de chamadas da escola.

AQUI VAI A MENSAGEM GRAVADA:
Olá! Foi direccionado para o atendedor automático da escola. De forma a podermos ajudá-lo a falar com a pessoa certa, por favor ouça todas as opções antes de fazer a sua selecção:
- Para mentir sobre a justificação das faltas do seu filho, pressione a tecla 1
- Para inventar uma desculpa sobre porque é que o seu filho não fez o seu trabalho, tecla 2
- Para se queixar sobre o que nós fazemos, tecla 3
- Para insultar os professores, tecla 4
- Para saber por que razão não recebeu determinada informação que já estava referida no boletim informativo ou em diversos documentos que lhe enviámos, tecla 5
- Se quiser que lhe criemos a sua criança, tecla 6
- Se quiser agarrar, tocar, esbofetear ou agredir alguém, tecla 7
- Para pedir um professor novo, pela terceira vez este ano, tecla 8
- Para se queixar dos tranportes escolares, tecla 9
- Para se queixar dos almoços fornecidos pela escola, tecla 0
- Se já compreendeu que este é o mundo real e que a sua criança deve ser responsabilizada e responsável pelo seu comportamento, pelo seu trabalho na aula, pelos seus tpcs, e que a culpa da falta de esforço do seu filho não é culpa do professor, desligue e tenha um bom dia!
- Se quiser a tradução desta mensagem em Espanhol, deve estar no país errado...


Recebi por mail e não resisti a trazer aqui :-)

 

tags:
publicado pela nena às 16:19
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 15 de Abril de 2007

Na era dos "K"

Duas imagens encontradas em locais destinados à educação:




A primeira é da DREN (Direcção Regional de Educação do Norte), a segunda do fórum sobre educação, na Exponor.
Com estes exemplos, como podemos explicar aos nossos alunos que não devem usar o "k" na escrita? Fico com a sensação de que remamos eternamente contra a maré...

 

publicado pela nena às 23:20
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Já não é de agora...

...que se enganam os outros com esta facilidade.

Há 30 anos que este professor se dizia licenciado... e nem na faculdade andou.

O mais estranho é que eu precisei de um certificado passado pela universidade para poder começar a dar aulas.

Pelos vistos também não podemos dar muita importância aos certificados, já que estes mudam conforme o dia em que são pedidos. E parece que nem é muito grave, pela reacção do principal interessado...

 

publicado pela nena às 09:08
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 29 de Março de 2007

Alugam-se salas

O Raim, que tem muito jeito para estas coisas, fez uma brincadeira com este tema... que também é uma brincadeira!


clicar para ampliar


E é assim que as nossas salas de aula vão servir para casamentos, para rinques para torneios de solteiros e casados e outros que tais.

 

publicado pela nena às 11:20
link do post | comentar | favorito
Domingo, 11 de Março de 2007

Hoje...

...encontrei uma ex-aluna minha no café.

Confesso que não me lembro dela como tal, mas é normal: eles são muitos, crescem e mudam imenso.

Achei curioso algo que ela disse: "Eu não me esqueço de si. Foi a única professora que me fez estudar Matemática..."

(Pois. Mas isto não interessa para ser titular.)


 

tags:
publicado pela nena às 18:12
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 5 de Março de 2007

Autoridade nas escolas

Ministra quer reforçar autoridade das escolas e professores

Como, se passa a vida a dizer mal de nós?
Como, se até dá aos pais o poder para nos avaliarem?

Não é com leis que os alunos vão melhorar os comportamentos. É  com uma mudança muito grande da postura da sociedade face à Escola.
Enquanto os pais (e todos os outros) não perceberem que servimos para formar os filhos e não para tomar conta deles, os comportamentos não vão mudar.

Digo eu, que não percebo nada disto... ou seria eu a Ministra!

 

publicado pela nena às 13:44
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2007

Novas atitudes na avaliação

Recebi por mail e resolvi trazer aqui:

 

As coisas têm de mudar, dizem as novas correntes da Educação.
Aqui está um exemplo da NOVA ATITUDE que os professores têm de adoptar, a bem dos tempos modernos.

Avaliação de um exercício nos tempos que correm... (Orientado para professores que têm de mudar... e cumprir as políticas da Srª Ministra...)

QUESTÃO PROPOSTA:

6 + 7 = ?

A . EXERCÍCIO FEITO PELO ALUNO:

6 + 7 = 18

B . ANÁLISE:

A grafia do número seis está absolutamente correcta;

O mesmo se pode concluir quanto ao número sete;

O sinal operacional + indica-nos, correctamente, que se trata de uma adição;

Quanto ao resultado, verifica-se que o primeiro algarismo (1) está correctamente escrito - corresponde ao primeiro algarismo da soma pedida. O segundo algarismo pode muito bem ser entendido como um três escrito simetricamente - repare-se na simetria, considerando-se um eixo vertical! Assim, o aluno enriqueceu o exercício recorrendo a outros conhecimentos. A sua intenção era, portanto, boa.

C . AVALIAÇÃO:

Do conjunto de considerações tecidas nesta análise, podemos concluir que:

A atitude do aluno foi positiva: ele tentou!

Os procedimentos estão correctamente encadeados: os elementos estão dispostos pela ordem precisa. Nos conceitos, só se enganou (?) num dos seis elementos que formam o exercício, o que é perfeitamente negligenciável.

Na verdade, o aluno acrescentou uma mais-valia ao exercício ao trazer para a proposta de resolução outros conceitos estudados - as simetrias... - realçando as conexões matemáticas que sempre coexistem em qualquer exercício...

Em consequência, podemos atribuir-lhe um...

..."EXCELENTE"...

 

publicado pela nena às 07:30
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2007

Fases de ensino em Portugal

Mais um mail que recebi e resolvi aqui trazer, apesar de não estar em PowerPoint como o original:

1ª fase
(antes de 1974)
O aluno ao matricular-se ficava automaticamente chumbado. Teria de provar o contrário ao professor…

2ª fase
(até 1992)    
O aluno ao matricular-se arriscava-se a passar…

3ª fase
(actual)
O aluno ao matricular-se já transitou automaticamente de ano, salvo casos muito excepcionais e devidamente documentados pelo professor, que terá de incluir no processo, obrigatoriamente, um "curriculum vitae" extremamente detalhado do aluno e nalguns casos da própria família.

4ª fase
(em vigor a partir de 2007)
O professor está proibido de chumbar o aluno; nesta fase quem é avaliado é o próprio professor, pelo aluno e respectiva família, correndo o risco quase certo de chumbar...

Apetece-me acrescentar uma…

5ª fase
Os alunos que saibam escrever o seu nome sem erros, nem precisam matricular-se. Têm acesso directo ao Conselho de Ministros como consultores privados do 1º Ministro, equiparados a Chefe de Gabinete, com direito a subsídio de almoço, carro e telefone.



Acrescentou o Bic Laranja: Os que não souberem escrever o nome podem concorrer para 1º ministro. 

 

tags:
publicado pela nena às 23:08
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Terça-feira, 23 de Janeiro de 2007

Os profs. nunca têm razão...

Recebi por mail e achei que devia colocar aqui, talvez por ter muito de verdade:


Os profs. nunca têm razão...

Se é jovem, não tem experiência;
Se é velho, está ultrapassado...

Se não tem carro, é um coitado;
Se tem carro, chora de barriga cheia.

Se fala em voz alta, grita;
Se fala em tom normal, ninguém o ouve.

Se nunca falta às aulas, é parvo;
Se falta, é um "turista".

Se conversa com outros professores, está a dizer mal do Sistema;
Se não conversa, é um desligado.

Se dá a matéria toda, não tem dó dos alunos;
Se não dá, não prepara os alunos.

Se brinca com a turma, é palhaço;
Se não brinca, é um chato.

Se chama a atenção, é um autoritário;
Se não chama, não se sabe impor.

Se o teste é longo, não dá tempo nenhum;
Se o teste é curto, tira a oportunidade aos alunos bons.

Se escreve muito, não explica;
Se explica muito, o caderno não tem nada.

Se fala correctamente, ninguém entende patavina;
Se usa a linguagem do aluno, não tem vocabulário.

Se o aluno reprova, é perseguição;
Se o aluno passa, o professor facilitou.

É verdade, os profs. nunca têm razão... mas se você conseguiu ler tudo até aqui, agradeça-lhes a eles.

 

tags:
publicado pela nena às 22:19
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 16 de Janeiro de 2007

Só pode ser brincadeira!

Ao acordar deparo-me com esta notícia: Matemática e Português dadas pelo mesmo professor nos 5º e 6º anos.

É agora que o alunos cada vez vão ter piores resultados a Matemática!... Ou será que vão mudar os programas e não vão ensinar mais que a tabuada até ao final do 6º ano?

 

sinto-me:
publicado pela nena às 07:32
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.mais sobre mim

.recentes

. Atendedor automático esco...

. Na era dos "K"

. Já não é de agora...

. Alugam-se salas

. Hoje...

. Autoridade nas escolas

. Novas atitudes na avaliaç...

. Fases de ensino em Portug...

. Os profs. nunca têm razão...

. Só pode ser brincadeira!

.arquivos

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

.tags

. ????????

. blogues

. borrachos

. ensino

. filmes

. música

. números

. pergunta sem resposta

. por cá

. signos

. sugestão

. teste

. tv

. vídeo

. vontades

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds